quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Funções das Catecolaminas (Stress)


Por Maristela Porto

       As catecolaminas são produzidas na medula suprarrenal (glândulas suprarrenais estão localizadas na parte de cima dos rins), no cérebro e em algumas fibras nervosas simpáticas.
      São sintetizadas a partir de um aminoácido essencial chamado tirosina.
 
As principais funções das Catecolaminas são:
- elas contribuem para a isquemia tecidual (pele, rins e órgãos da circulação mesentérica), ou seja, quando há falta de suprimento sanguíneo devido a obstrução de um tecido devido a um trombo;
- estimulam a produção de colágeno;
- estimulam secreção do cortisol através de outros hormônios.
- aceleram o metabolismo com aumento da produção de calor;
- estimulam a liberação do glucagon;
-aumentam os teores de glicose e de ácidos graxos no sangue.

“A epinefrina é produzida pela medula da glândula supra-renal quando há:
- baixa glicose no sangue,
- exercicio;
- estresse agudo (este caso, o cérebro estimula a liberação do hormônio). 

Ela provoca a decomposição do glicogênio em glicose no fígado, causando a liberação de ácidos graxos do tecido adiposo (gordura), a vasodilatação das pequenas artérias dentro do tecido muscular e aumentando a freqüência e a força dos batimentos cardíacos.” 

 
                            CATECOLAMINAS (NEUROTRANSMISSORES)

A epinefrina é responsável pela “lutar-ou-fugir”, imediata após estresse orgânico agudo. 
A descarga adrenérgica durante o estresse agudo aumenta o metabolismo basal e o animal fica mais preparado para pensar ou lutar, ou mesmo fugir mais rápido. 
Os hormônios da medula da supra-renal dilatam os vasos sangüíneos e desviam o sangue para os órgãos mais vitais (cérebro, músculos estriados, coração), diminuindo a circulação daqueles menos importantes durante o estresse como pele, rins e intestinos). 
 
Retenção de água e sódio no corpo, a pele fica pálida pela vasocontricção e há menor perda de sangue.
Ao mesmo tempo, há aumento da freqüência cardíaca e da força da contração miocárdica. 

continua...